Partilhar Lisboa

Novembro 09 2008

Nasci e cresci em Lisboa, vivo na mesma casa há 31 anos, aprendi a dormir embalada pelos eléctricos que recolhiam ao Arco Cego (se os eléctricos iam para a caminha eu também tinha de ir) ... cresci aprendendo a não acordar de madrugada com o passar dos camiões do lixo ... consegui embalar-me com as gargalhadas e as birras do pessoal no café já aqui ao lado ... acostumei-me aos shows de sábado à noite quando uma "noiva" e respectivas amigas se encaminhavam de/para o clube de strip masculino ao cimo da rua ...  e ultimamente até aprendi a gostar das sessões "musicais" que os miúdos fazem debaixo de uma varanda enquanto vão fumando umas coisas ... tudo isto faz parte do privilegio que é viver aqui!

 

O que eu não me conformo, é com aquelas "coisas" que debitam decibéis como se não houvesse amanhã ... que levantam uma poeira que chega aqui ao terceiro andar ... e que espalham mais folhas que juntam ... mas qual é o mal das vassouras???

Partilhado por AnaD às 20:56
Tags:

É o progresso.

O meu sogro (agora com 80 anos) foi guarda nocturno no Bairro Alto das 00 ás 7 da manhã e almeida (varredor de rua) entre as 6 da tarde e a meia-noite com uma vassoura de palha.

Lembro-me dele dizer há alguns anos que as vassouras novas não prestavam para nada e que as antigas eram feitas por eles próprios e cada um tinha a sua vassoura marcada.

Hoje são as vassouras mecânicas (tenho a foto de uma dessa vassouras a limpar a rua nos dias do Rock-in-rio ver o video aqui

Quanto á zona do Arco Cego .... pois, ai ai (suspiro) .... lembro-me das tardes de discoteca nos anos 70 e depois as noitadas nas cervejarias nos anos 80 (vou ficar por aqui que hoje a RTP (a minha geração anos 60) tem-me feito pulsar o coração e os vizinhos já devem estar a colocar algodão nos ouvidos por me ouvirem cantar
* * Grilinha * * a 9 de Novembro de 2008 às 23:04

"almeida" já nem me lembrava dessa expressão ... eram tão mais castiços e as ruas ficavam limpas e sem a barulheira
AnaD a 15 de Novembro de 2008 às 00:20

Eu que estava imune a essas coisas, vivendo num ultimo andar de uma das colinas lisboetas, dou por mim a viver no ultimo andar de uma das baixas lisboetas. A diferença é que o outro era o 5º de betão e este é o 1+2º de gaiola.
Oiço tudo e stou com pânico que me oiçam a mim.
Mais a mais sou a novidade no bairro e se bem que o cão Óscar só entrou uma semana depois de mim, no domingo, já sou alvo da curiosidade geral.
Vivo agora no meio de mitras, e antes vivia no meio de mitras.
Os mitras pululam na cidade com os seus sub-woofers.
Os caps ao contráio, as calças de ganga esbranquiçadas no rabo e nos fémures. Os brincos nas orelhas à lá jogadores de futebol.
Estamos perdidos no meio dos mitras. E, ainda por cima, aqui têm bulldogs e pittbulls.
A única coisa verdadeiramente fantástica é que tenho lugar para arrumar o carro. Sempre e a qualquer hora.
E isso vale por tudo.
Mr. X a 10 de Novembro de 2008 às 23:30

Mas ó homem tu foste viver para um ghueto??? pittbuls??? Olha que o Oscar ainda se apaixona.
AnaD a 15 de Novembro de 2008 às 00:21

Lisboa é a minha cidade, é quem sou e condiciona o que penso e o que sinto, por isso ao partilhar Lisboa, partilho angústias e alegrias, revoltas e compreensão ... no fundo é um local de partilha de sentimentos!
mais sobre mim
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16
17
19
20
21
22

23
26



pesquisar
 
comentários recentes
Bom diaAcordei bem disposto e também me apetece p ...
ahahah
http://muitaviagem.com.br/reveillon-2016-ano-novo-...
É nuito bonito voçes me fizeram mais feliz
Que aspecto delicioso! Adoro! Bjs bom fim de sema...
Olá Ana! Recebi o teu postal, através do PPC, ador...
Grande Webber, sem capacete! Vou ter saudades dest...
Pois, não foi ontem.Acho mesmo que será o melhor ...
Será já amanhã? Já tem a Pole...A ver vamos, boa s...
Li este post já tem um tempão, mas sinto o mesmo q...
Talvez depois do Seb ser campeão (como se fosse po...
blogs SAPO
RSS